Quando O Poder Sobe À Cabeça

Existem muitos provérbios sobre o tema "Se queres conhecer um homem dá-lhe poder", etc. De facto quase ninguém consegue lidar com o poder, se já não valiam nada, agora poderosos tornam-se gente perigosa e muito seguros de si, não há pachorra para fanfarrões. O elogio é uma enorme forma de passar poder, uma vez elogiei alguém por escrever bem, no dia a seguir já não escreveu nada bem, ficou convencido, seguro de si, cheio de vaidade, sentiu-se poderoso, enfim uma desgraça. Ou por exemplo, aquelas criancinhas chatas, se lhes dermos elogios então não há mesmo quem as aguente. Queres ver alguém parar de brilhar, elogia-o! Existe mesmo um número muito reduzido de pessoas que sabe gerir o elogio, sim porque ele gere-se. O elogio deve ser ouvido, entendido e assimilado. Existem outras pessoas a quem os elogios passam ao lado, prosseguem sem fazer caso, fingem não ter ouvido, concentram-se para não assimilar e interiorizar aquilo, porque estão conscientes dos perigos inerentes ao elogio. São pessoas Anti-Elogios, desenvolveram um escudo protector que as protege de todo e qualquer elogio. O elogio é um presente, devemos recebê-lo de braços abertos, acarinhá-lo, sentir vaidade e orgulho, mas não deixar que isso nos transforme, nos suba à cabeça, aniquile quem somos, nos desvie da nossa conduta e trajectória.










Escrito por Acordem a 16 de Junho, 2009.






                                   Este blog está protegido por lei contra o roubo de propriedade intelectual. Não plagie seja original